segunda-feira, 14 de abril de 2014

HERMAN WITSIUS (1636–1708): PREDESTINAÇÃO NA TEOLOGIA DO PACTO

             Esta passagem do teólogo do pacto Herman Witsius (1636–1708) baseia a predestinação em fontes bíblicas, e, mais uma vez, revela a atenção reformada às línguas bíblicas originais. A teologia do pacto foi pensada para temperar a severidade da doutrina da predestinação ortodoxa ao sustentar que os decretos de Deus sempre operam num contexto de um relacionamento pactual gracioso com a humanidade. A ênfase no parágrafo de abertura sobre a eleição do próprio Cristo foi tomada mais além na teologia de Karl Barth no século 20. O excerto é da obra Economy of the Covenants, livro 3, capítulo 4.

“O início e primeira fonte [do pacto da graça] é a eleição, ambos de Cristo o salvador e daqueles a serem salvos por Cristo. Pois mesmo Cristo foi escolhido por Deus, e por um eterno e imutável decreto, para ser nosso salvador; e, portanto, ele foi preordenado antes da fundação do mundo (I Pe 1.20). Aqueles a quem Cristo estava para salvar foram dados a ele pelo mesmo decreto. Eles são portanto os escolhidos em Cristo (Jo 17.6). Isto é, não só por Cristo como Deus e consequentemente eleitor deles, mas também em Cristo como mediador para serem salvos pelo seu (de Cristo) mérito e poder e desfrutar comunhão com ele.

Nós assim a descrevemos: a eleição é o eterno, livre e imutável conselho de Deus em revelar a glória da sua graça na salvação eterna de certas pessoas (Ef 1.4-6). Nós chamamos eleição o conselho de Deus, pelo qual o termo que nós queremos dizer é comumente chamado decreto. Paulo chama de προθεσις, “o propósito”, ou “o pré-apontamento” de Deus. Este termo aparece na própria escolha do apóstolo e denota um decreto certo, firme e fixo de Deus do qual ele nunca pode se arrepender e que não depende de nada fora dele mesmo (isto é, de nenhum mérito humano), mas é encontrado apenas no beneplácito de Deus (II Tm 1.9; Ef 1.11; Rm 8.28; 9.11).

A eleição para a glória não é algum decreto “geral” de Deus sobre salvar os crentes e piedosos que perseveram na fé até o fim de suas vidas. Mas uma designação particular de certas pessoas individuais a quem Deus tem inscrito como herdeiras da salvação.

O próprio termo προοριζειν, “predestinar”, o qual o apóstolo usa mais frequentemente, não obscuramente descobre esta verdade. Pois como οριζειν significa “assinalar” (apontar) ou “ordenar” uma certa pessoa (Atos 17.31; 10.42; Rm 1.4) então προοριζειν como aplicado aos herdeiros da vida eterna deve significar “inscrever”, “escrever”, “registrar” alguns indivíduos como herdeiros no testamento eterno”.

Tradução: Francisco Alison Silva Aquino

Fonte: http://deovivendiperchristum.wordpress.com/2013/10/04/herman-witsius-1636-1708-predestination-in-covenant-theology/

Nenhum comentário:

Postar um comentário