quinta-feira, 12 de junho de 2014

ABRAHAM HELLENBROEK (1658-1731) SOBRE A PREDESTINAÇÃO



          
          



            Abraham Hellenbroek (1658-1731) foi um teólogo reformado holandês e amigo próximo do mais bem conhecido Wilhelmus ‘a Brakel. Sua obra mais influente foi sua Exhibition of Divine Truths (Voorbeeld der godlyke waarheeden), um catecismo para a juventude. 

            Tal como acontece com o catecismo de Heildelberg, a obra de Hellenbroek visava o estado espiritual do catecúmeno (ou seja, é pessoal) em vez de simplesmente visar o conhecimento teológico. Na igreja reformada holandesa da África do Sul (Nederduitse Gereformeerde Kerk), ele se tornou o livro de catecismo oficial entre 1806 e 1824, até o primeiro sínodo em 1824 reintegrar o catecismo de Heildelberg. Abaixo está um excerto da obra na qual Hellenbroek concisamente expõe a doutrina da predestinação:

“Da predestinação

Questão 1. Deus também decretou quem será salvo e quem não será salvo?

Resposta: Sim.

2. Como este decreto é denominado?

Predestinação ou preordenação; Rm 8.30: Aos que predestinou, a estes também chamou.

3. Quantas partes ou atos de Deus nós devemos ali distinguir?

Duas: eleição e reprovação; I Ts v. 9: Deus não nos destinou para ira, mas para obter a salvação por nosso Senhor Jesus Cristo.

4. Quando este decreto da eleição foi formado?

Da eternidade; Ef 1.4: Ele nos escolheu nele antes da fundação do mundo.

5. Ela é universal, todos os homens são eleitos?

Não, o menor número; Mt 20.16: Muitos são chamados, mas poucos escolhidos.

6. Ela diz respeito a pessoas individuais conhecidas por Deus pelo nome?

Sim. Rm 9.13: amei a Jacó, mas me aborreci de Esaú.

7. Por qual razão Cristo escolheu alguém e não outro?

Apenas por sua livre e soberana vontade: Rm 9.18: Ele tem misericórdia de quem quiser ter misericórdia, e endurece a quem quer.

8. Não é então por fé prevista ou boas obras?

Não; Não depende de quem quer ou de quem corre, mas de Deus mostrar misericórdia; Rm 9.16.

9. Não há severidade ou injustiça nisso?

De forma alguma; pois Deus poderia justamente ter deixado toda a raça humana perecer no pecado.

10. A eleição é mutável?

Não; ela é imutável. Rm 9.11: para que o propósito quanto à eleição prevalecesse.

11. Segue-se daqui que é uma questão de indiferença como nós vivemos e agimos?  
       
De jeito nenhum, pois Deus decretou os meios assim como o fim a serem obtidos por eles.

12. Mas se uma pessoa eleita recusasse usar os meios?

Isto é mera suposição: pois Deus dá a elas um desejo caloroso para usá-los e de voluntariamente se deleitarem no uso deles.”

- Abraham Hellenbroek (1658-1731), Exhibition of Divine Truths (Voorbeeld der godlyke waarheeden), p. 20

Tradução: Francisco Alison Silva Aquino

Fonte: http://deovivendiperchristum.wordpress.com/2013/09/19/abraham-hellenbroek-1658-1731-on-predestinat

Nenhum comentário:

Postar um comentário