sábado, 24 de janeiro de 2015

MOLINISMO E I Co 10.13

Por Steve Hays

            Teístas do livre arbítrio citam I Co 10.13 como um texto de prova para a liberdade libertária (isto é, liberdade de fazer o contrário). Convertendo isto em termos de PPA (no inglês PAP)[1], há mundos possíveis nos quais os cristãos resistem às ditas tentações e mundos possíveis  nos quais  os cristãos sucumbem às ditas tentações. E os cristãos têm a habilidade metafísica de acessar uma ou outra alternativa.

            Além disso, em minha experiência, teístas do livre arbítrio dizem que isto se refere, não especialmente a pecados graves, como apostasia ou transgressões que conduzem à apostasia, mas ao ato de pecar em geral.

            Assumindo que esta é uma exposição precisa da posição deles, eis aqui a dificuldade:
            De acordo com o molinismo, nem todos os mundos possíveis são mundos viáveis. Mundos viáveis são um subconjunto de mundos possíveis. Deus só pode criar mundos viáveis. E que mundos possíveis são viáveis está além de seu controle.

            Nesse evento, como Deus pode cumprir a promessa universal para os cristãos em I Co 10.13 de sempre fornecer uma alternativa para o ato de pecar? Como Deus pode garantir que para cada tentação, um mundo viável está sempre disponível onde um cristão resiste àquela tentação particular?

            Nós estamos falando sobre todas as tentações diárias que cada cristão enfrenta no passado ou futuro. Deve haver um estoque de mundos viáveis para combinar com aquela situação em todo caso, onde o cristão não cede à tentação.

            Também, não é este um problema geral para o molinista tomar sobre as declarações condicionais e contrafactuais na escritura?

            Talvez um molinista estipularia que Deus teve muita sorte. Mas não é isto um ad hoc?

            Ao defender a onibenevolência de Deus, eles dizem que os mundos viáveis constrangem o que Deus é capaz de fazer.

            Ao defender I Co 10.13, é permitido a eles dar meia-volta?

            O estoque de mundos viáveis expandem ou contraem dependendo das necessidades exigentes da teoria molinista em qualquer dado tempo?

Tradução: Francisco Alison Silva Aquino





[1] Nota do tradutor: Principle of Alternative Possibilities (Princípio das Possibilidades Alternativas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário