domingo, 23 de agosto de 2015

O DEUS “MONSTRUOSO” DO CALVINISMO



Por Steve Hays

            Roger Olson diz:

            23 de Outubro de 2011, às 4:49

“De acordo com o Calvinismo clássico, Deus preordenou e tornou certa a queda de Adão e Eva ao retirar a graça que eles precisavam para não pecar. Em outras palavras, o horrível universo inteiro do pecado que seguiu a queda deles estava no plano e vontade de Deus — incluindo o sofrimento eterno dos perversos no inferno.”


            Olson acha que Deus não antecipou as consequências das suas ações criativas? Olson acha que Deus não pretendeu as consequências das suas ações criativas? Deus é um participante relutante na história do mundo? Um refém de sua criação?

“Outra coisa que você não menciona é o amor de Deus por todas as pessoas e seu desejo de que todos sejam salvos (I Tm 2.4). Que tipo de Deus escolheria salvar apenas uma porção da humanidade caída SE a graça é irresistível? Tal Deus seria um monstro.”

            Onde I Tm 2.4 diz que o amor de Deus é não correspondido? Onde I Tm 2.4 diz que o desejo de Deus é frustrado? Onde I Tm diz que Deus não salva todos porque sua graça é resistível?

            Como Deus ama a todas as pessoas se Ele intencionalmente cria algumas pessoas que sofrerão eternamente no inferno? Como Ele deseja a salvação delas se ele as cria no conhecimento certo da condenação delas? Se este resultado é o resultado inevitável da sua ação criativa? Elas não foram essencialmente destinadas a serem condenadas no momento em que Ele pôs a fita da vida e morte previstas delas?

            Como é monstruoso punir os perversos?

Tradução: Francisco Alison Silva Aquino



Nenhum comentário:

Postar um comentário